América Latina / Brasil

“A perspectiva é continuar na rua, na luta e não desanimar"

Imprimir
Quinta, 05 Maio 2016
Acessos: 1357
Compartilhar

Em todo o Brasil seguem manifestações contra o golpe que deixam uma mensagem de unidade entre todas as forças que se juntaram em defesa da democracia, além de focar num possível futuro sombrio de um governo Michel Temer que dará prioridade a ações neoliberais e simpático para com as pautas conservadoras em curso no congresso.

Por  André Lobão*

Nos vários atos e protestos realizados pelo Brasil promovidos até o momento pela Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo, como ato no realizado no último dia 29 de abril, na Lapa – Rio de Janeiro, a pauta dos discursos e entrevistas tem sido sempre de mostrar o quanto o golpe jurídico midiático em curso contra a Presidenta Dilma Roussef vai promover o retorno de políticas que se mostraram fracassadas no passado. A tônica é de que está em curso um conluio que vai causar retrocessos no Brasil

“Na verdade esse golpe sobre o biombo do que se chama de impeachment é um processo de eleição indireta em que aqueles que foram derrotados nas urnas estão tentando emplacar um projeto político e econômico. Esse programa envolve um retrocesso social, eu poderia, trocando os termos, reviver um antigo slogan: ou barramos o golpe ou é a barbárie” - afirmou um dos mais combativos críticos do impeachment da Presidenta Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados, o advogado Wadih Damous (PT-RJ) entregou o mandato. Suplente, ele sai em razão do retorno, nesta quarta-feira (4), do titular da vaga, Fabiano Horta (PT-RJ), que no fim de abril deixou o cargo de secretário de Desenvolvimento Econômico Solidário na Prefeitura do Rio de Janeiro.

A cobiça sobre riquezas estratégicas do Brasil é também parte componente da tentativa de golpe em curso, afinal o Petróleo e a Petrobrás fazem parte da pauta golpista.

“Tudo isso que a gente passa hoje é muito pequeno perto do vem por aí. Eu não tenho duvida que um dos primeiros atos desse possível governo do Temer será a entrega do pré-sal, o objetivo é acabar com as reservas naturais do Brasil, entregando a nossa riqueza” – disse Marcelo Rodrigues presidente  Central Única dos Trabalhadores  - CUT/RJ.

Apesar do momento adverso, a militância contra o golpe e a favor da democracia continua nas ruas e na luta sem ter o que “temer” na espera do resultado da votação do senado, que vai analisar a admissibilidade do afastamento de Dilma. A narrativa agressiva e misógina da grande mídia brasileira também recebeu criticas bem contundentes.

 “A perspectiva é continuar na rua, na luta e não desanimar. É saber que não queremos nenhum direito a menos e que não aceitamos qualquer tipo de negociação. Vamos resistir o quanto for necessário, não podemos aceitar esse golpe calados. Outro ponto que deve ser entendido é que nós mulheres seremos as mais prejudicadas com essa situação. Um exemplo disso é como a Dilma está sendo achincalhada pela mídia em capas de revistas semanais como da ‘Isto é’, ‘Veja’ e ‘Época’. Isso mostra muita falta de respeito com uma mulher” – observou Duda Quiroga da secretaria de comunicação da CUT/RJ.

No atual contexto, a narrativa da mídia tem sido fundamental para a desconstrução da imagem de Dilma perante a opinião pública. Como um bate estaca a grande imprensa brasileira em todas as plataformas de mídia reforça uma imagem negativa da presidenta e de seu governo.

 

“A população passou algum tempo sendo iludida pela mídia tradicional de que o governo Dilma seria perdido e sem rumo. Após a votação do impeachment na Câmara dos Deputados ficou bem claro que aqueles que tinham alguma dúvida sobre quais de fato eram os interesses de que votou pela abertura do processo de impedimento da Dilma e tentativa de golpe. A própria rede de televisão que tem interesse no golpe revelou ao país a falta de vergonha daqueles que receberam mais de 500 milhões de reais da Fiesp para votar contra o governo”  -  falou Edison Munhoz, diretor do Sindipetro/RJ.

 

Assista versão em vídeo

 

 *André Lobão é jornalista da Agência Petroleira de Notícias

Imagem: Samuel Tosta

Compartilhar

Copyright © 2019 Agência Petroleira de Notícias. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um software livre com licença GNU/GPL v2.0

Av. Presidente Vargas, 502, 7º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ, CEP 20010-000 • (21) 2508-8878 Onlink.