Comunicação

Em ato ilegal, Temer exonera presidente da EBC

Imprimir
Terça, 17 Maio 2016
Acessos: 2165
Compartilhar

O Diário Oficial da União publicou nesta terça-feira (17), o decreto assinado pelo presidente interino Michel Temer que exonera o jornalista Ricardo Melo da função diretor-presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

O decreto contraria a lei que criou a EBC em 2008 e estabeleceu que o mandato do diretor-presidente fosse de quatro anos, não coincidentes com os mandatos do presidente da República. Ricardo Melo foi empossado dia 10 de maio deste ano e deveria permanecer no comando da empresa até maio de 2020. O jornalista já informou que tomará as medidas cabíveis para garantir o exercício de seu mandato.

A ex-presidenta da EBC, Tereza Cruvinel manifestou-se imediatamente sobre o episódio em carta aberta a Michel Temer. Num dos trechos Tereza afirma: “Senhor presidente: a sociedade reconhece a TV Brasil e os canais EBC como coisa sua. E protestará contra a destituição do diretor-presidente ao arrepio da lei, não para defender um direito subjetivo dele. O que está em causa é a inobservância da lei e a preservação de um direito difuso da sociedade brasileira, o direito a uma comunicação pública complementar e independente, asseguradora da expressão da diversidade e da pluralidade, característica das sociedades democráticas”.

Antecipando-se à movimentação de Michel Temer, o Conselho Curador da EBC lançou uma nota no último sábado (14) ressaltando a preocupação com as consequências que uma possível mudança na direção da empresa poderia trazer para sua autonomia: “Para preservar sua autonomia no desenvolvimento da comunicação pública, a EBC é também dotada de dispositivos legais presentes no artigo 19 da Lei11652/08 que conferem mandato ao seu Diretor-Presidente que, uma vez nomeado, não pode ser destituído a não ser por vontade própria do mandatário ou grave desrespeito aos ditames legais que regem suas funções e responsabilidades, e só por deliberação do Conselho Curador”.

A diretoria executiva da EBC também se manifestou na sexta-feira (13) sobre um ainda possível afastamento de Ricardo Melo: “a nomeação de novo diretor-presidente para a EBC antes de término do atual mandato violará um ato jurídico perfeito, princípio fundamental do Estado de Direito, bem como um dos princípios específicos da Radiodifusão Pública, relacionado com sua autonomia em relação ao Governo Federal”.

Além de tais manifestações institucionais da empresa, movimentos sociais ligados à pauta da comunicação já articulam manifestações. Nesta segunda-feira (16) foi realizada no Rio de Janeiro uma reunião em defesa da comunicação pública e da legalidade. Também está sendo elaborada uma nota contra o ato de demissão de Ricardo Melo pelo Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação.

Apesar de o Brasil não ter feito uma lei tão profunda como a Lei de Meios argentina, a lei que criou a EBC sempre foi vista como um avanço no debate da discussão sobre comunicação pública e democratização dos meios de comunicação. A EBC possui diversos mecanismos de participação popular, como seu Conselho Curador, que tem representantes do governo federal, dos trabalhadores da empresa e da sociedade civil. Além disso, dispõe também de uma ouvidoria que recebe e encaminha as demandas da população que acompanha os veículos da empresa.

 

Fonte: Canal Ibase

Compartilhar

Copyright © 2019 Agência Petroleira de Notícias. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um software livre com licença GNU/GPL v2.0

Av. Presidente Vargas, 502, 7º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ, CEP 20010-000 • (21) 2508-8878 Onlink.