Cultura

Mauá - O Imperador e o Rei, com entrada gratuita, na Aepet

Imprimir
Quinta, 01 Dezembro 2016
Acessos: 982
Compartilhar

Será exibida na próxima segunda-feira, 5, às 18h30, o filme “Mauá – O Imperador e o Rei, dirigido por Sérgio Rezende. A controvertida figura de Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá, pioneiro na industrialização dom Brasil, é vivida na tela pelo ator Paulo Betti.

O sessão é parte de um projeto da Casa da América Latina, com apoio da Aepet, Sindipetro-RJ, Marcha Patriótica e Auditoria Cidadã da Dívida, com apresentação quinzenal de filmes, seguida de debates. Local: Associação de Engenheiros da Petrobrás (Aepet), Edifício Rodolpho de Paoli, na Avenida Nilo Peçanha 50, sala 2409. Os interessados receberão certificados. Basta solicitar pelo telefone 22773750. Confira a sinopse.

 

Sinopse: Arroio Grande, Rio Grande do Sul. É nesta pequena localidade que vivia Irineu Evangelista de Souza (Paulo Betti) e tudo indicava que passaria sua vida ali (ou, pelo menos, grande parte). Mas o destino interveio e, de forma funesta, pois ainda garoto Irineu se tornou órfão, quando seu pai foi morto por ladrões de gado.
Dois anos depois, sua mãe decidiu se casar novamente com João Jesus, mas como o padrasto não aceitava um enteado, Irineu foi morar no Rio de Janeiro com Batista, seu tio. No Rio, vai trabalhar no armazém do português Pereira de Almeida (Elias de Mendonça), onde o jovem Irineu descobre ter jeito para os negócios, pois tinha uma visão ampla do que iria acontecer no comércio.
Ele se torna um funcionário de confiança e um cobrador impiedoso, levando Queiroz (Hugo Carvana) ao suicídio após tomar todos os bens (inclusive escravos) como pagamento de uma grande dívida.
Irineu defendia o fim da escravidão por razões econômicas e era um homem de palavra, o que fez seu talento ser reconhecido por Richard Carruthers (Michael Byrne), um escocês que vivia no Brasil, que o emprega em sua firma de exportação e lhe dá as primeiras noções das teorias econômicas.
Alguns anos depois, Carruthers diz que sente o mesmo que os negros: banzo, que é saudade da terra natal, pois ficara rico no Brasil, mas deixara seu coração na Escócia. Assim, parte deixando Irineu comandando os negócios. Nesta altura da vida, Irineu se apaixona pela sobrinha, May (Malu Mader), com quem irá se casar e ter vários filhos.
Em Liverpool, Inglaterra, se deslumbra com a potência das fábricas e decide liquidar sua empresa comercial para se arriscar na construção da primeira indústria brasileira, uma fundição e estaleiro em Ponta de Areia, Niterói.
Desde quando começou a enriquecer, Irineu ganhou um inimigo para toda a vida, o Visconde de Feitosa (Othon Bastos), que o via como um aventureiro que sonhava apenas em ganhar mais dinheiro e desviar o Brasil da sua "vocação agrícola". Irineu queria modernizar o país, entretanto, sofreria mais obstáculos do que seria capaz de imaginar, pois seria prejudicado por estrangeiros, mas principalmente pelos brasileiros que pertenciam a uma oligarquia, que apenas queriam usufruir os bens sem nada produzir.




Visite a página da Casa da América Latina
http://www.casadaamericalatina.org.br/

 

 

Compartilhar

Copyright © 2019 Agência Petroleira de Notícias. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um software livre com licença GNU/GPL v2.0

Av. Presidente Vargas, 502, 7º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ, CEP 20010-000 • (21) 2508-8878 Onlink.