Meio Ambiente

Os efeitos da Eco 92 e do Rio+20

Imprimir
Quarta, 27 Junho 2012
Acessos: 1448
Compartilhar

Por Emanuel Cancella*

Ninguém deve ter dúvidas da importância dos povos se reunirem para debater o futuro do planeta. Porém, duas décadas se passaram da Eco 92 até a Rio + 20 e pouco se viu de avanços concretos. Longe disso! Principalmente considerando que o G-20 se reuniu no México, em Los Cabos, em encontro paralelo ao encontro no Rio, e decidiu; “por crescimento e união bancária na Europa”. No G-20 estão os países que mais poluem o planeta, são os mais industrializados e não elaboraram uma linha sequer para fazer da Rio + 20 um espaço de transformação da relação do homem com o meio ambiente.

Porém, grande parte desses governantes e seus partidos estão sendo reprovados nas urnas. Seria a vingança dos povos? A grande mídia sempre aposta no fracasso desses encontros e fazem questão de confundir a população. Não explicam as divergências em relação à economia verde. Não aprofunda o papel de denúncia da Rio +20 que constituiu a Cúpula dos Povos. Preferem gastar seu tempo e as nossas concessões públicas criticando os congestionamentos das ruas em virtude das passeatas e dos atos.

Precisamos exaltar o encontro dos movimentos e das ideias na Cúpula dos Povos. Debates sobre a vida saudável dos mares, rios, lagoas, fauna e flora, e consequentemente a preservação das espécies, principalmente nossos filhos e netos. Reflexões sobre tudo que interessa à humanidade: do ar, da água, do solo, da matriz energética, dos alimentos sem agrotóxicos e transgênicos, do mundo do trabalho, da reforma agrária etc. E por que não do lixo, da sacola de supermercado e até da guimba de cigarro?

Apesar da aparente indiferença do G-20, eles vão ter que se enquadrar ou correm o risco de serem banidos da vida pública. O próximo a testar as urnas é Barack Obama, presidente dos EUA. E para aqueles que desdenham das preocupações ambientais, vejam o exemplo do fotógrafo francês, Yann Arthus Bertrand, que esteve no Brasil na Eco 92 e decidiu iniciar um projeto fotográfico para o ano 2000 sobre o estado do mundo e seus habitantes.

Yann é o responsável pela exposição de fotografia realizada simultânea à Rio+20 na Cinelândia, Rio de Janeiro, “A terra vista do céu”. Esse também é o tema de um livro com 3 milhões de exemplares vendidos. A exposição das fotos já foi apresentada em cem países e já foi vista por cerca de 200 milhões de pessoas.  Yann escreveu em um dos quadros da exposição: “...Todo mundo pode fazer alguma coisa. Cabe a você descobrir o quê”. Os governos também precisam responder essa questão!

* Emanuel Cancella é diretor do Sindipetro-RJ.

Compartilhar

Copyright © 2019 Agência Petroleira de Notícias. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um software livre com licença GNU/GPL v2.0

Av. Presidente Vargas, 502, 7º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ, CEP 20010-000 • (21) 2508-8878 Onlink.