Nacional

Reformas não passarão no Senado, afirma Paulo Paim

Imprimir
Terça, 23 Maio 2017
Acessos: 1724
Compartilhar

Na  véspera do grande ato de protesto convocado para Brasília pelos movimentos socais e sindicais, o clima ficou tenso no Senado. Os senadores Paulo Paim e Lindbergh Farias fazem as suas apostas: as reformas não vão passar e Temer está prestes a cair.

Por Fatima Lacerda*

 

Foto: Mídia NinjaFoto: Mídia Ninja

Na  véspera do grande ato de protesto convocado para Brasília pelos movimentos socais e sindicais, o clima ficou tenso no Senado. Os senadores Paulo Paim e Lindbergh Farias fazem as suas apostas: as reformas não vão passar e Temer está prestes a cair.

Paulo Paim afirmou, em entrevista à TV Senado,  nesta terça (23), que o governo terá dificuldade de aprovar as reformas trabalhista e previdenciária no Senado, tal como propostas pela Câmara:  

- Em todos os debates internos do Senado prevalece o entendimento de que as reformas são tão perversas, tanto a trabalhista como a previdenciária, que não têm como serem aprovadas, ainda mais nesse governo.

Paim avalia que, no limite, Temer cai até o dia 6 de junho, quando começa o julgamento da chapa Temer-Dilma pela Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O senador está seguro de que a permanência de Temer é insustentável:

- Eu vi e ouvi a filmagem e as fitas em que Temer recebe 15 milhões de reais (supostamente para a campanha eleitoral) e diz “um milhão eu botei no bolso”. É uma irresponsabilidade votar reformas tão impopulares e tão perversas num cenário desses.

Eles mentem e dizem que essas reformas vão salvar o país. É mentira. Elas apenas retiraram direitos dos trabalhadores e dos aposentados.

Na tarde desta terça (23) a oposição ao governo Temer também impediu a leitura do relatório sobre a reforma trabalhista (PLC 38/2017), de autoria do senador Ricardo Ferraço. Mas a situação considerou a leitura como “feita”, aumentando o “climão” entre os parlamentares. O senador Lindbergh declarou à TV Senado:

- Até ontem (segunda) estava suspenso o calendário de votação da reforma trabalhista.

Mas tudo mudou de ontem para hoje. Os governistas querem aparentar um clima de tranquilidade que não existe.  Se não houver um recuo, haverá uma grande confusão aqui dentro (no Senado). Não aceitaremos a leitura do relatório para tentar  sustentar Michel Temer num momento desses.  

O ato prevista para amanhã (24), contra as reformas e pelo Fora Temer!, deverá reunir milhares de trabalhadores em Brasília. De unidades do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) seguiram vários ônibus. O jornalista André Lobão fará a cobertura ao vivo, pelas páginas eletrônicas da entidade.

Fonte: Agência Petroleira de Notícias, com informações da TV Senado (Fátima Lacerda é jornalista da APN/Sindipetro-RJ)

Compartilhar

Copyright © 2019 Agência Petroleira de Notícias. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um software livre com licença GNU/GPL v2.0

Av. Presidente Vargas, 502, 7º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ, CEP 20010-000 • (21) 2508-8878 Onlink.