Reforma Agrária

Amigos do MST no Sindipetro-RJ

Imprimir
Quarta, 26 Dezembro 2007
Acessos: 2710
Compartilhar

No dia 18 de dezembro, aconteceu no Sindipetro-RJ o evento Amigos do MST.

A atividade, realizada anualmente no Rio de Janeiro, comemora o final de ano com um balanço das lutas travadas e apontando as perspectivas de mobilização para o ano seguinte. O encontro é organizado pelo próprio Movimento e por intelectuais, artistas e representantes de outros movimentos e entidades que o apóiam. Este ano, contou com a participação de intelectuais como Vito Gianotti, do Núcleo Piratininga de Comunicação, e Roberto Leher, da Faculdade de Educação da UFRJ, além de representantes de entidades sindicais, estudantis e movimentos sociais, como a Frente Internacionalista dos Sem-Teto.

A exibição de um vídeo produzido pelo coletivo de cultura do MST abriu o evento, fazendo uma retrospectiva das principais atividades realizadas ao longo de 2007. O grande destaque foi para o 5º Congresso Nacional, que reuniu 18 mil militantes e significou um salto de organização para o movimento. Após a afirmação da palavra de ordem “Reforma Agrária! Por justiça social e soberania popular”, deliberada no 5º Congresso e entoada por todos os presentes, o economista João Pedro Stédile, da direção nacional do MST, apresentou o que chamou de uma “prestação de contas” do movimento às entidades parceiras.

Stédile fez uma avaliação de conjuntura, pontuando o fortalecimento do capital no país e reafirmando a necessidade de formação política da juventude para a construção de um novo ciclo de mobilizações de massa no Brasil. O economista relembrou as principais lutas de 2007, como o 8 de março feminista e antiimperialista construído pelas mulheres da Via Campesina em protesto contra o agronegócio, a campanha pela reestatização da Vale, os atos contra os leilões de petróleo e as várias marchas e ocupações de terra pela Reforma Agrária realizadas em todo o país. Ao apontar as perspectivas, Stédile afirmou crer em uma retomada das lutas de massa no Brasil nos próximos anos, com importante agitação social.

Após a intervenção do dirigente do MST, o diretor do Sindipetro-RJ Emanuel Cancella saudou os presentes e relembrou as lutas de 2007, destacando a ocupação da sede da ANP contra os leilões do petróleo e gás (organizada em conjunto com o MST) e afirmando que a categoria continuará nesta luta em 2008, atuan­­do em conjunto com os movimentos sociais até que os leilões sejam suspensos e as áreas já leiloadas recuperadas ao país.

Compartilhar

Copyright © 2019 Agência Petroleira de Notícias. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um software livre com licença GNU/GPL v2.0

Av. Presidente Vargas, 502, 7º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ, CEP 20010-000 • (21) 2508-8878 Onlink.