Reforma Agrária

Prisão de José Rainha e o calote do agronegócio

Imprimir
Segunda, 20 Junho 2011
Acessos: 1177
Compartilhar

Por Emanuel Cancella

No Brasil, levamos 11 anos para levar a cadeia diretor de um importante jornal, um assassino confesso e covarde de uma jornalista. Nesse mesmo Brasil, José Rainha, liderança dos trabalhadores sem terra é preso acusado de desviar dinheiro público. Não vou entrar no mérito da prisão de Rainha. Mas o grande caloteiro do dinheiro público na questão agrária é o agronegócio em suas várias versões de representação: UDR e agora CNA. Ambas nunca pagaram nada e através do lobby no Congresso Nacional e com a conivência dos governos de plantão alongam o prazo de pagamento da dívida e ainda conseguem dinheiro novo. É o desvio oficial do dinheiro público.

Vale ressaltar que o agronegócio é propriedade de algumas poucas famílias, seus negócios são voltados à exportação. É a chamada monocultura. Já os sem terra lutam pela reforma agrária. Discutem a situação de milhares de famílias, o assentamento delas. Tratam da agricultura familiar, que hoje é responsável por mais da metade dos alimentos de origem agrícola que freqüentam a mesa dos brasileiros. O Brasil é o único país de dimensões continentais que não fez a reforma agrária. A mídia que alardeia a prisão de Rainha se cala diante do calote do agronegócio.

* Emanuel Cancella é diretor do Sindipetro-RJ.

Compartilhar

Copyright © 2019 Agência Petroleira de Notícias. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um software livre com licença GNU/GPL v2.0

Av. Presidente Vargas, 502, 7º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ, CEP 20010-000 • (21) 2508-8878 Onlink.