Reforma Agrária

MST fecha Av. Presidente Vargas em lembrança aos mortos de Eldorado dos Carajás

Imprimir
Quarta, 18 Abril 2012
Acessos: 1458

Image

 

Militantes do MST fecharam hoje pela manhã a Avenida Presidente Vargas, importante via do centro do Rio de Janeiro. O protesto durou 21 minutos, em lembrança aos 21 mortos no Massacre de Eldorado dos Carajás, ocorrido em 17 de abril de 1996, no Pará. Até hoje ninguém foi punido.

Os Sem-Terra haviam dormido no Incra, após um dia inteiro de negociações sem resultados. Depois de fecharem a rodovia, os manifestantes marcharam até o Fórum de Justiça para cobrar punição aos assassinos. Lá, entregaram uma carta pedindo justiça e agilidade nos processos de desapropriação de terras no estado do Rio. Segundo Amanda Matheus, da direção estadual do MST, nenhuma família é assentada no RJ há 5 anos.

Image

Os Sem-Terra realizaram um ato em frente ao Judiário, no centro do Rio. Segundo Fernanda Vieira, advogada do Centro de Assessoria Jurídica Popular Mariana Criola, “o MST vem denunciar o compromisso da Justiça com o latifúndio, com o capital e com a elite econômica”. Ela acalmou os seguranças do fórum, que temiam uma invasão: “Apesar deste prédio se tratar de um grande latifúndio improdutivo, não pretendemos ocupar. Mas saibam que para cada lágrima choramos pelos nossos mortos, surge um militante intransigente na luta pela vida.”

Ao final, alunos do curso de Serviço Social da Via Campesina leram cada um dos nomes dos militantes assassinados no Pará. E finalizaram: “Pelos nossos mortos, nem um minuto de silêncio, mas uma vida toda de lutas.”

Os Sem-Terra permanecem ocupando o INCRA até que as negociações avancem.

Fonte: Imprensa MST

Fotos: Samuel Tosta /Agência Petroleira de Notícias

 

Image

Image

Image

Image

Image

Image